11/09/2006

A Galiza nipona

Capa de Ghost in the shell, um animé sobre o futuro numa sociedade maquinista.

A sociedade japonesa comparte com a galega uma taxa de suicidio superior a 5 por 100.000 cada ano, sendo a época pior na primavera e no verão.

Maioria dos galegos da geração-X, como eu próprio, crescemos com o animé de Akira Toriyama (Dr. Slump, Dragon Ball). Hoje a estrela é Shin Chan, que amostra no fundo uma sociedade japonesa muito competitiva, em que o casal anda quase todo o dia quer no trabalho quer no centro comercial, onde é impossível deslocarse a pé e os filhos são únicos e passam a jornada inteira na escola.

Baseado na arte erótica oriental que já existia há mais de quatrocentos anos apareceu também o hentai moderno após a derrota japonesa da Segunda Guerra Mundial. A pornografia é limitada no Japão e o hentai mais perverso é uma válvula de escape às pressões do quotidiano.

Quando as pessoas decidem demitir-se da vida como na Galiza e no Japão significa que algo está doente nas nossas sociedades pós-industriais e nem sequer as válvulas de escape funcionam. Cá encontramos todos os dias sintomas de enfermidade social no elevado grau de alcoolismo, nos suicídios, no narcotráfego, nos acidentes de trânsito, nos incêndios, etc...