30/12/2006

Mitos laborais

Estes son probabelmente os dez mitos falaces mais estendidos no mundo laboral:

1- Encontrar emprego cun bo título académico é fácil.
2- Internet (p.ex. Infojobs, Monster, etc...) é o mellor sitio onde procurar.
3- Os traballos que requiren esforzo físico páganse peor.
4- O aprendido na universidade ou politécnico non vale para a vida real.
5- O proceso de contratación é xusto.
6- Calquera pode facer calquera traballo con suficiente experiencia.
7- Se publico o meu CV na net recibirei mais ofertas de traballo.
8- Se unha compañía non está recrutando xente non hai oportunidade de ser contratado.
9- De non encontrar traballo o mellor é seguir estudando.
10-Un posgrao (p.ex. MBA, doutorado) garante un salario mais alto e ocupar postos xerenciais.

Nota: adaptado polo autor a partir de varias postaxes do Employment Digest. A imaxe é dunha ETT, no El País. Chuce aquí.

28/12/2006

Lalalá visto no Chuza


Anunciado no Chuza: Hotéis em La Coruña?

Há mais exemplos de galego-portunhol nos pacotes de café Trópico e no leite Feiraco.

27/12/2006

2007: Ano da Engenharia Informática

O Ministério da Educação espanhol aprovou as diretrizes do Grau em Informática na semana passada em meio do Natal. Se ninguém o remedeia, a Engenharia Informática vai desaparecer num par de anos com a adaptação ao modelo europeu de Bolonha.

Cria-se um primeiro Grau em Informática reduzido para quatro anos e elimina-se assim a concepção de que informática é uma engenharia. Quem gostar de saber mais terá de pagar o pouco económico Master (ou mestrado) em Engenharia Informática.

Sendo o processo de Bolonha a nível europeu, porquê a estrutura académica vai ser 3+2 anos em Portugal e 4+1 anos em Espanha?

A lei foi aprovada sem debate, por surpresa e com um véu de desconhecimento e passividade quer nos professores quer nos alunos.

Imagem: Logo de Ingenieros de primera

23/12/2006

Propósitos para o novo ano

Para o vindeiro ano serei mais realista: pedirei o imposíbel.

Imaxe: anaco dunha oferta de emprego de Allianz nunha revista británica.

20/12/2006

A crise que vem da Ásia

Em 1997, o bom desenvolvimento económico da Ásia sofreu uma crise que se estendeu rapidamente a vários países asiáticos e latino-americanos. A Tailândia, que tinha o maior crescimento da história, entrou numa terrível crise monetária da que ainda hoje não conseguiu saír.

Ontem a economia electrónica propagou o pânico na bolsa pela fraqueza do dólar e do yuan chinês. A Tailândia, uma economia com grande presença de capital estrangeiro, perdeu até o 10% do seu PIB num só dia por um rumor de que blindaria o mercado.

Com as nossas economias ligadas em rede, um simples FUD (Fear, Uncertainty, Doubt) tem a potência e a celeridade suficiente para knockear qualquer país (p.ex. George Soros contra o Reino Unido). Os governos já não podem manejar as crises.

Imagem: números vermelhos na bolsa de Tóquio. Mais em BBC News.

Eternidade

Este ano non vou ter Nadal. O significado do Nadal tal como o coñecía desapareceu coa perda dun familiar moi querido. Finxirei que todo continúa igual mercando os habituais agasallos.

Apesar de ser un agnóstico convencido, se é que un agnóstico pode estar convencido de algo, deixo no blogue unha atinada reflexión do señor cura da miña pequena aldea:

"Somos infelices porque tratamos de saciar o noso corazón, que ten fame do infinito e do eterno, con cousas materiais, que son necesariamente finitas e perecedouras."

A felicidade, como a eternidade, non se pode mercar, nin sequera no Nadal.

Imaxe: After Shave Eternity de Calvin Klein. Aprox. 26 euros no Carrefour.

15/12/2006

Plágio

Graças a um reportador anónimo chegou cá o seguinte caso de plágio que tem muita piada. Vale a pena lê-lo ou escutá-lo no seu blogue original: Orsai.

Um blogger argentino publicou um artigo, El amigo tonto, e depois foi roubado e publicado na imprensa por um polícia espanhol. Mas a vingança do blogger foi fazer uma entrevista ao polícia-ladrão e pôr a gravação na net. Ouçam lá.

Este é só um caso mas há inumeráveis exemplos de apropriação de ideias de professores a alunos, de chefes a empregados, etc ... no nosso quotidiano. Plagiar mata a criatividade, é uma fraude e é, portanto, uma atitude ética muito reprovável.

Quando eu estudava no Reino Unido, o chamado plagiarism era o pior dos comportamentos possíveis e era punido com a expulsão da universidade ou da empresa. Tomem nota.

Imagem: Tirada da página do consultor de negócios Lee Hopkins

13/12/2006

A oportunidade que esperabas

Despois de ter chamado inculto ao público milanés da Scala na véspera da representación da ópera Aida, o tenor Roberto Alagna, na foto, escapou a lume de carozo no meio da súa actuación entre os berros dunha sala na que se atopaban entre outros Angela Merkel.

E así chegou a oportunidade de Antonello Palombi, o suplente, que tivo que facer de xeneral Radamés en jeans e camisa. O esforzo foi agradecido cun aplauso de nove minutos.

E é que o mundo da ópera é como a vida mesma, todos temos un pouco de Palombi agardando oportunidades tras duns Alagna.

11/12/2006

A cultura do vinho

Já que estamos no Natal, uma época propícia para os embebedamentos, gostaria de propor uma maneira diferente de beber álcool. Desde que moro em Compostela tenho verificado que o único objectivo da mocidade na quinta-feira à noite é apanhar rápido uma bebedeira de paralisar os neurónios.

Era melhor substituir essas combinações infectas com o estômago em jejum por um copo de vinho acompanhado de empanada, queijo ou azeitonas. Ademais, é muitíssimo mais chique desconversar sob influência dionisíaca de um Tio Pepe ou um Terras Gauda do que dizer parvoíces graças ao Absolut com Fanta de laranja.

Imagem: Garrafa de Lambrusco Grasparossa de Módena; apenas 1.80 euros no Carrefour.

09/12/2006

Limite de vacas no blogomillo

Recentemente Chuza fíxose eco de xeito optimista de mais dunha nova en El País sobre o número de blogues en galego. O número de bitácoras está a crecer, certo, mas xa non cumprimos a lei de David Sifry (Technorati) segundo a que cada ano o número de blogues se multiplica aproximadamente por catro.


Nota: Cadros propios baseados en dados de Novosmedios.org

Se no presente 2006 o censo de bitácoras activas en galego non anda perto dos 600 blogues activos, podemos comezar a falar non en crise mas en mudanza no tipo de crecemento: o paso dun primeiro ciclo que foi como unha bola de neve a un segundo ciclo con tendencia asintótica.

O blogomillo tamén é un ecosistema e como tal ten os seus factores limitantes: a escasa penetración de internet no rural, onde está o maior caladoiro de galegofalantes, e a tan comentada endogamia.

05/12/2006

Literatura fast food

Este fim-de-semana soube que morrera de câncer de pulmão Allen Carr, aquele gajo que ficou milionário ao vender livros para deixar de fumar que se transformaram em best-sellers internacionais.

Isto fez-me lembrar a morte do Dr. Atkins, que faleceu com um ataque cardíaco e pesava 200 quilos, o guru da dieta das proteínas e poucos vegetais e autor de vários supervendas. E aínda o psicólogo Wayne Dyer que encheu de auto-ajuda as prateleiras dos Carrefour rematou os últimos dias numa seita religiosa.

A literatura fast-food não alimenta, não resolve qualquer problema, mas vende.

01/12/2006

Inundacións (II)

Para quen quiser saber mais sobre as inundacións, no próximo sábado dia 2 de decembro, no programa Protagonistas de Galicia en Punto Radio falarán ao respeito:

Carlos Nárdiz (decano do Colexio de Enx. de Camiños de Galiza)

Rafael Eimil (Director da Demarcación de Costas na Galiza)

Paco Alonso (Augas de Galicia)

e Jerónimo Puertas (Catedrático de Hidroloxía)

Frecuencias: A Coruña 105.1, Lugo 88.9, Ourense 89.9, Pontevedra 100.3, Santiago 100.2 e Vigo 91.1.