14/01/2010

E-aprendendo

Num mundo em constantes mudanças e inovações é necessário reflectir e repensar novas formas de levar a informação até as pessoas, para que estas se compatibilizem com as profundas mudanças culturais e sociais a que temos vindo a assistir e que contribuem para a emergência de novos paradigmas pedagógicos perante as novas necessidades.

A sociedade galego-falante urbana encontrar-se-á numa situação de apartheid após a aplicação do decreto de ensino autonómico que visa o uso único da língua maioritaria. A língua galega, em minoria no âmbito urbano, vai perder com toda probabilidade qualquer presença havendo três soluções no actual margo legal:

1- Não fazer qualquer coisa e obrigar á minoria urbana galego-falante a um ensino só em castelhano contra a vontade individual de muitas pessoas e contra o convívio de línguas.
2- Criar instituições de ensino presencial adequadas para essa minoria urbana galego-falante, favorecendo talvez uma outra situação de falta de integração entre a população castelhano-falante e a galego-falante.
3- Fornecer espaços ensino aberto virtualizado com conteúdos de qualidade em língua galega (mesmo galego-portuguesa) em todos os níveis.

A sociedade de hoje assiste a uma mutação da relação com o saber que resulta por um lado, do mais fácil e rápido acesso à informação e, por outro lado, da natureza e organização do trabalho com exigências de formação contínua e uma constante renovação de saberes. Esta mutação resulta também da existência de todo um conjunto de TICs que permitem o máximo de interacção possível e a adequação á diversidade linguistica e cultural de cada utente.

Sirva como exemplo o curso aberto da UNED de Microeconomia em galego
http://ocw.innova.uned.es/ocwuniversia/diplomado_en_ciencias_empresariales/microeconomia-i-v-galego
o curso aberto de Topologia em galego na USC:
http://ocw.usc.es/opencms/gl/servizos/ceta/opencourseware/Lic_Matem/topoloxia/index.html
ou o site da Universidade Aberta de Portugal:
http://www.univ-ab.pt/

O desenvolvimento de espaços flexíveis de ensino-aprendizagem (tipo Instituto de Ensino Secundário a Distância e Universidade Aberta), em que possam ser utilizados todos os recursos disponíveis e possa ser respeitada a heterogeneidade, sem necessidade de grandes investimentos, será o grande desafio para as universidades, administração e empresas nos próximos anos.

Na mesma linha: http://mendinho.blogspot.com/2006/07/uned-en-galego-por-que-non.html