30/06/2013

Ambiente de trabalho livre de indústria

Meu defunto avô sempre dizia "onde há fumo há dinheiro" e a Galiza está a caminho de se transformar em um páramo industrial. Toda semana há uma notícia do fechamento de alguma fábrica ou das dificuldades que atravessa qualquer um setor industrial (automóvel, naval, florestal, conserveiro, têxtil, ....). Em muitos casos, trata-se de empresas que são pilares da estrutura económica de uma região e que fazem parte da história coletiva de um território e as fechaduras tornam os habitantes conscientes da gravíssima crise.

Nos últimos cinco anos na Galiza se destruíram quase um terço dos empregos industriais que havia no início da crise e destruiu-se todo o emprego industrial que se gerou em duas décadas de crescimento da economia galega.

Em alguns casos, a malograda fusão das caixas e a perda da galeguidade do Banco Pastor deixou a descoberto a pouca solidez de algumas indústrias. Em outros casos, cada indústria fez a guerra por conta própria face a alguns concorrentes asiáticos muito bem organizados e apoiados.